quinta-feira, agosto 31, 2006

Erotismo


fotos de ff

Delineia-se numa imaginação de contornos suspeitos – uma forma longa arredondada ou cilíndrica, macia e robusta, flexível mas determinada, impertinente, curiosa e exploradora. Com os seus instintos carnívoros, sedentos e cavernosos vai-se impulsionando pelos odores que se vão produzindo e desprendendo das suas paredes ruborizadas, humedecidas e intumescidas pela espera do seu hóspede, que pode chegar em traje de cerimónia mas que depressa se despirá sem pudor, disposto e disponível para a massajar em ritmos assimétricos: umas vezes lenta e suavemente num prolongamento delongado, de exploração de cada centímetro em rubro para ser estimulado por aquele convidado especial na sua arte e dom de fazer vibrar; outras vezes rápido e acelerado, apressado e incentivador deixando todos em êxtase de quase voar. Que convidado tão desejável e desejado num paradoxo de entrar e sair, de ir e vir, sempre numa renovação cada vez mais intensa e urgente, um vaivém desenfreado que contorce torpores, renasce músculos esquecidos, descobre esgares e trejeitos recônditos, arqueia curvaturas cristalizadas, aumenta dimensões apetecíveis num deleite de refeição carnal irrecusável até pelo vegetariano mais ortodoxo.
Oh visitante, hóspede desejado e talentoso, ide e penetrai o umbral do jardim dos prazeres recônditos, ide descobrir os tesouros secretos e envergonhados que abundam nos lagos de profundas floras exóticas. Ide amiúde, descobrir todos os segredos escondidos, para que outros se recriem até nova visita de descoberta, ousadia e êxtase.
Ide Senhor Amo e Servo da Senhora Rainha e Escrava de seus odores, humores e ardores e torcei-lhe o esgar mais racional ao instinto mais carnal, transformando-se ambos num animal enfurecido de amores, que a ninguém fere ou molesta, talvez contagie numa dádiva de prazeres partilhados.
Ide Senhor e deixai-a em quebranto de descanso de guerreiro após tarefa cumprida e vitórias acumuladas.

7 Comentários:

Anonymous Anónimo disse...

não entendo... erotismo????? quase parece pornografia ... depois coloca a mulher numa situação de submissão e espera por algo que...a satisfaça???vinda do homem??? alguém me esclareça por favor

5:35 da tarde  
Blogger susana c. disse...

entre as várias gradações de erotismo e pornografía chegamos a um ponto em que a linha de separação é ténue. nessa linha manda a subjectividad daquele que a interpreta/ sente.
Submissão feminina?! Bom, em parte. Mas só em parte. Numa relação sexual equilibrada a rainha é ocasionalmente escrava assim como o amo também é servo – conforme ff refere no seu excitante texto. Tem ou n tem que haver prazer mútuo? Claro que tem!

O que lemos neste texto é a emancipação de uma mulher que recebe em si aquele que ela convidou, aquele que ela desejou e que depois ambos atingirem o prazer pediu, delicadamente, que fosse embora.

8:11 da tarde  
Blogger syl disse...

Suponho que uma vez mais se prova que as palavras somente não levam ao entendimento que delas se faz. Falta por vezes a sensibilidade, a maturidade que poderá levar não só ao conhecimento,mas fundamentalmente á aceitação do universo de cada um. Sejamos livres pois de nos contorcermos entre o correcto e o controverso, se o fazemos com a alma

9:48 da tarde  
Anonymous Anónimo disse...

Senhoras Redactoras:
Claramente fora da linha estética a que nos habituaram... Tudo se perdoa...olhando para todo o conteúdo anterior.
Apeteceu-vos chocar??

5:09 da tarde  
Blogger margarete disse...

já li este texto várias vezes e pasei sempre a caixa de comentários, honestamente, não estou a perceber o espanto d@ anónim@
aborrece-me a atenção/cuidado permanente para que a mulher não caia no erro da submissão, e acho que se confunde aquilo a que vou chamar "rendição" com "submissão"
e mesmo que assim fosse, este texto apresenta claramente vários "papéis" dos parceiros...
o que é que choca realmente no texto?! ou é a foto?

muito bonito, ff, evocou-me Drummond de Andrade em muitas passagens

11:15 da manhã  
Blogger margarete disse...

pasei=passei

nota: o conceito "rendição" não enquanto havendo um vencedor e um vencido, mas a rendição de um ao outro e vice versa

11:17 da manhã  
Anonymous Anónimo disse...

parabéns, Margarete, resposta politicamente correcta... É claro que o homem é sempre o vencido!! O sexo?? relação desigual...

9:39 da tarde  

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial