domingo, junho 26, 2011

Confecção dos afectos #2#

foto ff (Paris 2011)



Nem uma gota de sangue se desperdiçava, apesar das feridas que dentro deflagrava. Torciam-se-lhe os pulmões, levavam os rins atrás numa dança desenfreada, vinha o coração e gritava até silenciar, os intestinos tamborilavam sons da Amazónia, os ossos faziam estalidos e a pele rangia... nada se derramava nem infiltrava. Era estanque, hermética como uma impenetrável cela de aço. Por vezes abria-se uma pequena fresta onde assomava uma goela aberta silenciosa - qual grito de Munch, que logo era violentamente recolhida. Dias, e dias, e dias, e dias... dias, um abalo na válvula mitral, onda após onda, propaga-se p'los a aurículos e ventrículos, irradiando-se deste músculo para as esponjosas cavidades alveolares e contiguamente vibra como um vulcão em urgência de zona de erupção, todos orifícios são convocados e invocados, começam a ceder; e, como um cristal, o fato em poucos suspiros desfaz-se em incontáveis e irrecuperáveis pedaços.

Etiquetas:

1 Comentários:

Blogger dada24 Xu disse...

ray ban glasses
chaussures louboutin
fred perry shirts
jordan retro
coach factory outlet online
michael kors handbags
uggs
michael kors bags
outlet louis vuitton
kd 8 shoes
zhi20170116

3:03 da manhã  

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

Hiperligações para esta mensagem:

Criar uma hiperligação

<< Página inicial