sexta-feira, janeiro 26, 2007

SIM em inglês


fotos ff

As long as I know myself I recognize me as a No Girl. That means I’d never said Yes for nothing without thinking about some involved aspects of it, so, normally I use to say: “No, because there are non favourable things of it, lets see what…”, sometimes I use to say: “Maybe, depends of…” or “Yes, but…”and few times I use to say: “Yes, lets do it!”, when I was just sure of something.
That tendency still stays on me.
Now, those general ambiences of the refereeing vote to Voluntary Interruption of Pregnancy (VIP or IVG – Portuguese way), bring me to a spontaneous and clear answer: “Yes, lets give to everywoman the certainty of being consistently and properly assisted at every decision and followed interventions in relation to the pregnancy!”.
Even if I could admit that I know a little bit why there’s this discussion, I don’t understand why there a point of doubt about questions so clear in sense of supportive counselling and care treatment, that everybody deserves. That should be clear as it is in the human rights, where that is naturally contemplated.

p.s. em inglês porque assim surgiu na minha actividade cognitiva

8 Comentários:

Anonymous Sissa disse...

SIM em todas as línguas!!

Bom que aqui está em ingles porque o Ben vai poder ler :)
bjs

P.s. Creio q te falta um 'k' aqui: "Even if I could admit that I (k)now..." (a mim acontece-me isso mil vezes!)

4:18 da tarde  
Blogger margarete disse...

bonito como tu!

olha, espreita ali uns poemas que a lebre vai deixar nos próximos dias, acho que vais gostar muito: http://www.meninasemocascachopasegaijas.blogspot.com/

beijinhos!


(vou linkar este post)

6:57 da tarde  
Blogger FF disse...

isso mesmo linda sissa, obrigada pela correcção, faço sempre esse esforço de ensaiar a sonoridade para distinguir, mesmo assim escapou-me...

obrigada margarete...let's do it

8:15 da tarde  
Blogger susana c. disse...

sim, sim, sim. porque não suporto hipocrisias. porque há sempre aqueles que ganham muito e que se estão nas tintas sobre a ética e a moralidade que falsamente apregoam. e porque quem "tem" que o fazer, seja por motivos maiores ou menores vai, na grande maioria dos casos fazê-lo na mesma, porque quem tem dinheiro fá-lo em melhores condições. Porque "matar" um embrião não é o mesmo que sufocar um bébé num saco de plástico... Porque um aborto é uma intervenção com riscos e despenalizando-o significa que quem o faz poderá falar ter acesso por parte do/a médico/a que o vai fazer, a informações mais detalhadas sobre as suas consequências, do que deve e não deve fazer nos dias seguintes além que aquele/a farão uma verificação mais detalhada sobre a sua saude antes de procederem à intervenção; porque quem não quer fazê-lo não é obrigada por uma lei que o despenaliza. Finalmente porque a despenalização do aborto (até ás 10 semana)não implica um menor investimento do estado e da sociedade em medidas preventivas.
No dia 11 lá estarei a assinalar, com convicção, uma cruz no sim.

12:36 da manhã  
Anonymous tanta_coisa_pra_dizer disse...

mas por agora fica apenas um grande
SIM...
claro!
fotos super fixes!

1:42 da tarde  
Anonymous Sissa disse...

Chegou-me "`as maos" um texto com a visao de um padre acerca deste assunto. Achei muito interessante, por isso aqui fica o link (ver texto do dia 25 Jan 2007):
http://padremariodemacieira.com.sapo.pt/diario.htm

bjs e sim's

11:37 da manhã  
Blogger INDIGENTE ANDRAJOSO disse...

muito boas as fotos

5:33 da tarde  
Blogger syl disse...

YES, girl. No shame or sorrow, no fear or doubt. YES!

6:05 da tarde  

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial